CONSULTORA DE VIAGENS / Luiza Hubener /

E-MAIL/ atendimento@perugrandtravel.com

Peru Grand Travel / Dicas de Viagem  / Resenha histórica de Machu Picchu
Resenha histórica de Machu Picchu

Resenha histórica de Machu Picchu

Machu Picchu é uma cidade envolvida em muitos mistérios porque, até o momento, arqueólogos não conseguiram decifrar a origem destas construções incas em uma mágica zona geográfica onde se pode apreciar a natureza andina e amazônica. Porém o que esconde esta maravilha do mundo? A seguir passaremos informações úteis sobre este destino assim como parte da história de Machu Picchu.

O que significa a palavra Machu Picchu?

Em quíchua, significa:

  • Machu – velho (a)
  • Picchu – montanha

É um nome contemporâneo para a antiga llacta ou povoado inca. Segundo historiadores, no início era chamada de Picchu ou Picho.

Localização

A cidadela de Machu Picchu está localizada ao sul do Peru, a 112,5 km ao noroeste da cidade de Cusco, a uma altitude de 2350msnm.

Encontra-se no distrito de Águas Calientes (povoado de Machu Picchu), província de Urubamba, departamento de Cusco. Suas coordenadas são 13º 10´ 19″ e 13º 14´ 00″ de latitude sul e 72° 30′ 5″ e 72° 36′ 33″ de longitude oeste.

Circundando Machu Picchu, na margem esquerda, localiza-se o cânion de Urubamba, conhecido antigamente como riacho de Picchu, ao pé das montanhas e praticamente rodeando-os correm os rios Vilcanota – Urubamba. A cidadela propriamente dita fica dentro de um território intangível do Sistema Nacional de Áreas Naturais Protegidas pelo Estado (SINANPE), chamado de Santuário Histórico de Machu Picchu que se estende sobre uma superfície de 32.592 hectares da bacia do rio Vilcanota-Urubamba.

Veja também: Dicas, recomendações e tudo o que você necessita saber para viajar a Machu Picchu

História

Esta cidadela situada entre os Andes e a Amazônia, foi uma região colonizada por povos serranos provenientes das regiões de Vilcabamba e do Vale Sagrado, em busca de uma expansão de territórios para designá-los ao uso agrícola. Assim, consideraremos parte da história:

  • Machu Picchu durante a época inca

Conforme as crônicas de Martin de Murúa (religioso mercenário espanhol) conta-se que Pachacutec no ano de 1440 durante sua campanha em Vilcabamba conquistou o riacho de Picchu. Este lugar impressionou tanto o governador inca que ele mandou construir a cidade no ano de 1450, hoje conhecida como Machu Picchu.

Com uma população estimada entre 300 a 1000 habitantes, pertenciam possivelmente à elite real ou Panaca do Inca. Em 1531, a partir da guerra civil inca e a interrupção com a invasão espanhola em Cusco, no ano de 1534, a vida em Machu Picchu foi consideravelmente afetada, uma vez que os mitimaes, grupos de pessoas de diferentes comunidades conquistadas pelos incas, aproveitaram para retornar às suas terras de origem.

Outro documento indica que o Inca Titu Cusi Yupanqui, governador de Vilcabamba pediu aos frades da ordem de Santo Agostinho para ajudar a evangelizar os Piccho no ano de 1570. É então que Luis Guillermo Lumbreras (antropólogo, arqueólogo e educador peruano) indica que os famosos extirpadores de idolatrias poderiam haver chegado até Machu Picchu, destruindo ou incendiando a torre do Templo do Sol.

  • Machu Picchu na época colonial e republicana

Após a queda de Vilcabamba em 1572 e da consolidação do poder espanhol nos Andes centrais, a cidadela de Machu Picchu manteve-se dentro da jurisdição de diferentes fazendas coloniais. Porém já não era igual ao tempo de seu apogeu, mas havia se tornado um lugar remoto, afastado dos novos caminhos e eixos econômicos do Peru. Praticamente foram ignorados pelo regime colonial.

  • Machu Picchu atualmente

Desde 08 de janeiro de 1981 o estado peruano, mediante decreto supremo Nº 001-81-AA, Machu Picchu foi constituído e designado como Santuário Histórico Nacional, sumamente protegido pelo governo peruano o qual é encarregado de preservar e conservar as formações geológicas e restos arquitetônicos, assim como da proteção de sua flora, fauna e beleza paisagística.

Hoje em dia, Machu Picchu é o destino turístico mais importante do Peru e um dos mais importantes a nível mundial, com um grande fluxo de visitantes estrangeiros (2500 a 3000 visitantes por dia), sendo um dos lugares preferidos dos viajantes de todo o mundo com paisagens naturais e obras construídas por nossos antepassados e, por isso considerados um dos lugares que não se pode deixar de visitar.

Descobrimento

De acordo com estudos, em um primeiro momento, não foi exatamente Hiram Bingham quem descobriu a cidade inca de Machu Picchu, mas sim um agricultor peruano Augustín Lizárraga em busca de novas terras para cultivo chegando à cidadela em 14 de julho de 1902, deixando registrado no muro das Três Janelas. Esta afirmação é respaldada pelo escritor cusquenho Américo Rivas em seu livro “Augustín Lizárraga: o grande descobridor de Machu Picchu.”

Depois de quase uma década, em 24 de julho de 1911, o explorador Hiram Bingham, encontrou esta prova de uma expedição prévia de Lizárraga, a qual indica que Bingham mandou apagar o que estava escrito dizendo ser por motivo de conservação. O mesmo explorador que anotou tal sucesso em uma de suas anotações de viagem, se esqueceu de incorporá-lo em seu livro “Acidade perdida dos Incas.”

Atualmente considera-se que Hiram Bingham é o descobridor científico, uma vez que foi o primeiro que apresentou ao mundo a existência da cidadela inca e em 1950 foi aberta ao mundo completamente para visitação.

Veja também: 5 lugares imperdíveis na sua visita à cidadela de Machu Picchu

Principais setores de Machu Picchu

A cidadela de Machu Picchu conta com dois setores, agrícola e urbano.

1.- Setor agrícola

Área formada por terraços e plataformas utilizadas para a agricultura da Llacta. São paredes feitas de pedras de diferentes tamanhos que contavam, com sistemas de drenagem. Estes terraços foram construídos de maneira escalonada até as ladeiras da montanha. Cada muro mede cerca de 4 metros de altura. Suas paredes possuem degraus que tornavam mais fácil o acesso de uma plataforma a outra.

Estas construções permitiram o cultivo e aclimatação de diferentes produtos semeados. Contava também com plataformas cujo uso era exclusivamente de contenção ou sustentação para evitar erosão ou deslizamento deste.

2.- Setor Urbano

Este setor compreende os seguintes lugares:

  • Praça Sagrada: conjunto de construções dispostas em torno de um pátio quadrado, o qual, segundo pesquisadores, foi um lugar de rituais. Dentro dela podemos observar o templo das Três Janelas e o templo principal.
  • Templo das Três Janelas: alicerce da cidadela de Machu Picchu constituindo uma construção a base de grandes blocos de rocha maciça. De acordo com pesquisadores havia inicialmente cinco janelas, embora atualmente podemos observar três delas que indicam a localização exata do nascer do sol.
  • Templo principal ou templo do sol: construção feita de maneira refinada em formato semi-circular. Foi um templo dedicado ao Deus Sol com janelas alinhadas para o nascer do sol. Embaixo deste templo encontram-se cavernas com tumbas chamadas de tumbas reais.
  • Intihuatana: em quíchua significa “lugar designado como observatório astronômico”. Foi uma edificação em forma piramidal que pode ter sido usada como relógio solar devido aos quatro vértices que representam os pontos cardeais, as quatro direções que formam o sistema solar.
  • Templo das Três Janelas: a existência destas três janelas está relacionada com a trilogia simbólica ritualística da região andina, como a seguir:
  • Casa do Sacerdote: provavelmente teve uma função sacerdotal e ritualística uma vez que o sumo sacerdote ou willaqUma (cabeça que avisa) era o responsável pelo templo. Esta construção em forma retangular conta com nove nichos.
  • Rocha Sagrada: conforme experts indicam esta rocha representa o monte Pumasillo que parece um puma e representa um marco geográfico que marcava a sinalização do portal de Machu Picchu até Huayna Picchu.
  • Templo do Condor: esta construção possui uma peculiaridade em sua arquitetura que mostra irregularidades em seu interior. Pode-se observar a imagem da ave sagrada dos incas, o condor, que estende suas asas o que indica que foi uma rocha sagrada de culto e rituais.

Outros setores de grande interesse

  • Montanha de Huayna Picchu

A montanha de Huayna Picchu também chamada de montanha jovem é um lugar muito visitado devido a seu rico valor arqueológico. O trajeto é rodeado por exuberante vegetação e grande parte do caminho é em zigue zague. Suas escadarias são quase verticais com precipícios que causam vertigem a quem sobe. Do topo pode-se apreciar vistas espetaculares de Machu Picchu e arredores.

O número máximo de pessoas por dia que pode visitar a montanha é de 400, dividido em dois grupos e dois horários, de 7h às 8h e de 10h às 11h. Recomenda-se fazer a reserva com muitos meses de antecedência.

Tempo de caminhada: 2h30 (ida e volta)

  • Montanha Machu Picchu

A montanha de Machu Picchu é o lugar menos visitado de todo o complexo arqueológico, porém assim como Huayna Picchu, possui seu encanto. Seu percurso é menos inclinado que o da montanha Huayna Picchu e a caminhada menos exigente, apensar de levar um pouco mais de tempo para chegar ao topo, estar lá em cima é poder admirar a Cidade Sagrada de Machu Picchu e Huayna Picchu e toda a cadeia montanhosa desta maravilha.

A capacidade máxima de pessoas por dia nesta montanha é de 800, dividida em dois grupos e dois horários, das 7h às 8h e das 10h às 11h.

Tempo de caminhada: 3h30 (ida e volta)

Podemos mencionar muitas maravilhas dentro do conjunto arqueológico de Machu Picchu. É por isso que o convidamos a conhecer estes lugares fantásticos em companhia da agência Peru Grand Travel.

Informações sobre Machu Picchu

  • Em 1983 foi declarado como patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).
  • Em 2008 liderou uma das listas dos 22 destinos mais vendidos no mundo.
  • A revista National Geographic Traveller incluiu a cidade de Machu Picchu na lista dos 50 destinos importante na vida.
  • A Lonely Travel considerou Machu Picchu como uma das melhores construções mais representativas do mundo realizada pela mão humana.
  • A World Travel Awards elegeu Machu Picchu como o melhor destino natural.
  • A revista Skyroad denominou Machu Picchu como uma fantástica cidade sobre as nuvens e a mencionou entre os 10 destinos espirituais mais fantásticos do mundo.
  • Em 2014 Machu Picchu foi considerado um dos lugares mais fotografados do mundo, indicado pela Sightsmap e Panoramio no Google
  • Em 2016 a comunidade de viajantes do Trip Advisor o declarou como melhor destino do mundo.
  • Em 2017 Machu Picchu foi reconhecida como a melhor atração turística.

Confira os melhores pacotes de viagens para Machu Picchu.

Sem Comentários

Deixe um comentário